6 de fev de 2010

Justiça obriga Omint a incluir parceiro homossexual como dependente

 A empresa Omint Serviços de Saúde Ltda terá de incluir definitivamente, no prazo de 60 dias, companheiros(as) homossexuais como dependentes dos titulares de planos de saúde por ela comercializados. A decisão liminar (tutela antecipada), foi proferida no dia 18/12/2009 pela juíza federal Ritinha Stevenson, da 20ª Vara Cível Federal de São Paulo.

“As disposições legais e constitucionais que protegem a união estável entre homem e mulher aplicam-se, por analogia, à união estável homossexual, uma vez que se constata lacuna da lei nesse particular”, diz a decisão.

A juíza teve como base o artigo 201, inciso V, da Constituição Federal. “Entendo que a interpretação desse artigo – que não discrimina o tipo de união afetiva a que se refere – deve se proceder em harmonia com o princípio constitucional maior da isonomia, consagrado enfaticamente no artigo 5º da Constituição Federal”.

Em sua opinião, os direitos dos companheiros homossexuais estão sendo aos poucos consagrados pelos tribunais. “A jurisprudência dos nossos tribunais vem consagrando o direito de companheiros homossexuais, que tenham vivido em união estável, ao benefício de pensão em caso de falecimento de um deles. Os princípios (inclusive constitucionais) que norteiam esses acórdãos são os mesmos por mim adotados na presente decisão”.

A Omint terá, ainda, de alterar as minutas de seus contratos e demais documentos no prazo de 60 dias, de modo a assegurar o direito ora deferido. Foi determinado à ANS (Agência Nacional de Saúde) que fiscalize o cumprimento da medida liminar.

Ação Civil Pública nº 2009.61.00.024482-3


Fonte: JFSP /Expresso da Notícia

Data: 14/01/2010

Nenhum comentário:

Postar um comentário